As peças mais antigas do armário: dia 02

Comenta aqui!
Ontem a gente começou uma semana temática muito especial. Em tempos de fast fashion e consumo acelerado, a gente tomou a direção oposta e resolveu tirar uma semaninha pra falar de slow fashion. Uma moda calma e gostosa que pensa lá na frente, em peças que duram e que são feitas com carinho e cuidado, usando materiais e acabamentos de qualidade. Sim, invariavelmente elas vão custar um pouco mais caro. Mas, em compensação, quando bem escolhidas, podem durar décadas.

No fim das contas esse blog é bem mais sobre isso do que sobre preço pura e simplesmente. Lógico que a gente curte um fast fashion, uma pechincha aqui e outra ali. Mas a ideia é ter sempre uma boa base de coisas realmente boas no armário, coisas com as quais a gente sabe que pode contar porque vestem super bem e tem aquele ar clássico que nunca sai de moda. E, aí sim, combinar essas peças clássicas com outras do momento, misturando mais barato com mais caro (lembrando que também não precisa ser absurdamente caro - tem um monte de marcas legais fazendo coisas lindas e cheias de qualidade com preços justos e tem sempre a alternativa de comprar em brechó ou no Enjoei :-).

Bem, a peça antiga de hoje (assim como a de ontem) tem pra lá de 10 anos de idade. Naquela época, a grana era beeeem curtinha. Eu tinha acabado de me formar, primeiro emprego em publicidade paga mal que só. A minha sorte é que vira e mexe a minha mãe vinha me visitar e ficava com dó da minha pindaíba. A gente saía pra dar uma volta no shopping e ela sempre dava um jeito de me dar um presentinho.

O mais legal na verdade era esse momento mãe e filha. A gente andava com calma, olhando as vitrines, botando o papo em dia depois de meses sem se ver (eu morava no Rio e ela mora em Salvador). Entrávamos em um bando de lojas, experimentávamos um bando de roupas lindas. A gente ria, opinava uma na roupa da outra, almoçava juntas e eram dias sempre super gostosos e leves.

Numa dessas tardes, eu ganhei essa camisa. A minha mãe sempre foi fã das camisas sociais da Animale. E a gente sempre entrava na loja e provava várias. Eu provei essa e ela amou, comprou e me deu a sacola. Disse que era perfeita pra eu ir trabalhar. E eu passeei o resto da tarde toda orgulhosa com a minha sacolinha na mão.

Bem, depois dessa história linda, vamos à ela, à camisa social que me fez fazer bonito no primeiro emprego com sua gola de laçarote.

Lembrando que a semana é sobre usar peças super antigas de um jeito atual, eu queria que a camisa ganhasse um ar mais informal e moderno. Pra isso, escolhi combinar a camisa com as minhas culottes com estampa tropical. As culottes estão super em alta e deram um clima atual e informal pro look.


 O mix de estampas, tropical da calça com listrinhas da camisa, também ajudou a dar mais personalidade pro look. O segredo aqui foi contrastar bem as cores (o verde escuro da calça com o o branco da camisa) mas usando o rosa como elo entre os dois.


Falando em rosa, só pra deixar a coisa toda mais jovem, a gente finaliza o look com um batonzão: o Relentlessly Red, meu rosa preferido da MAC.


E aí? Já fez a busca pelos tesouros antigos do seu armário? Mostra pra gente postando lá no Instagram com a hashtag #MaisAntigasdoArmário !

Créditos:

Camisa: Animale
Calça: Topshop
Sapatos: Schutz
Óculos: Zero UV

As peças mais antigas do armário: dia 01

Comenta aqui!
Com a mudança de país, me ví tendo que me desfazer de boa parte do meu armário. A gente abraçou uma nova vida aqui e a ideia era vir só com mala, sem cuia, e, pro bem ou pro mal, o limite eram 3.

Vou confessar que não foi tão difícil. Venho praticando desapegos periódicos desde o ano sem Zara e a limpa da viagem pareceu ser mais uma lojinha do Enjoei (com o reforço de todos os objetos de decoração - esses sim, me deixaram de coração partido).

A verdade é que olho pro meu armário hoje e vejo escolhas mais conscientes e que refletem um estilo que diz muito sobre mim, sobre o meu momento na vida. A gente vai mudando, amadurecendo e a roupa é reflexo disso. Não à toa, muitas das peças que ficaram são mais novas, coisas de dois, três anos pra cá.

Mas, vasculhando o que sobrou da ponte aérea São Paulo - São Francisco, acho engraçado perceber quais são as peças Highlander. Aquelas que sobreviveram às intempéries do tempo e das minhas mudanças. Talvez até mais do que as peças novas, essas sim saibam bem falar de mim, de quem eu sou e do que vivi. Como amores ou amigos que cresceram junto com a gente entre tantos que ficaram pra trás simplesmente porque a vida levou pra lugares diferentes.

É só roupa, você vai me dizer. E eu te digo que não. Roupas que duram décadas com a gente são testamentos da nossa história. Por isso, pra reconhecer o valor dessas peças que ajudam a contar a minha história, essa semana vai ser temática. O tema: as peças mais antigas do armário.

A ideia é vasculhar tudo e encontrar aquelas peças que se pudessem falar teriam muitas coisas a dizer. As peças que, por um motivo ou outro, foram ficando. E mostrar que cada uma delas tem muito valor ainda hoje.

Pois bem! Teremos 7 dias, 7 peças antigas, 7 looks contemporâneos. Eu digo contemporâneos no sentido de que devem ser contemporâneos de mim e representar quem eu sou hoje. Porque não adianta nada guardar aquela saia por mais de dez anos se hoje em dia ela não tem mais nada a ver com você. Não! Nada de Toy Story do armário. Essa semana é sobre peças que sobreviveram ao tempo justamente porque são úteis e balançam o coração da gente até hoje.

Então vamos lá?

Eu já falei dessa saia várias vezes, inclusive, contei a história dela desde o comecinho nesse por aqui ó. Pode fazer as contas. Eu fui estagiária com 19 aninhos. Meus cabelos brancos não me deixam mentir. Lá se vão 12 anos. E a bichinha continua linda como quando eu comprei.

Confesso que a minha maior dificuldade hoje em dia é deixá-la menos menininha. Ela é florida e rodada e com cintura alta marcada, ou seja, fofura pura. Portanto, a ideia do look de hoje foi balancear essa doçura toda. Pra isso, juntei a saia com a uma camisetinha listrada PB. O contraste de estampas e de cores acabou dando essa quebrada que a saia precisava.


Pra equilibrar as formas, joguei por cima um casaco bem lady e feminino, porém com uma modelagem bem adulta. Os layers e recortes dão um aspecto mais moderno e trendy pra história, complementando bem o clima mais vintage da saia.


Por fim, nos pés, queria aproveitar pra dar um toque mais sexy no look. Nada como um saltão, certo? O tom de azul também ajudou a dar mais personalidade e adicionar um toque divertido e inusitado no look.


Dia 1 do nosso desafio das peças mais antigas do armário cumprido. E, aproveitando que ainda estamos no começo da semana, que tal separar um tempinho pra dar um olhada no seu armário e descobrir quais as suas peças Highlander? Separa aí e conta pra gente postando no Instagram com a hashtag #maisantigasdoarmário. Quanto mais antigo, mais legal!

Créditos:

Saia: Maria Bonita Extra
Camiseta: Zara
Casaco: H&M
Óculos: Zero UV
Sapatos: Arezzo
Batom: Relentlessly Red da MAC

Achadões da semana: especial Melissa

Comenta aqui!
Mais uma segundona. Espero que o final de semana de vocês tenha sido desses que deixam as baterias inteirinhas carregadas novamente pra enfrentar a semana toda.

Como já virou tradição por aqui, vamos começar com a coluna que é a minha desculpa (que eu dou pra mim mesma e pro marido) pra ficar fuçando durante horas a fio nas lojas virtuais da vida: Achadões da Semana!

Mas a verdade é que o Achadões de hoje foi bem fácil de fazer e (infelizmente) não exigiu muito mais do que uma horinha pra escolher as nove lindezas que figuram neste post.

É que, no caso de hoje, o tema ajudou muito. Tive a ideia desse Achadões quando entrei no armário esse final de semana e dei de cara com a minha Melissa Cosmic rosa choque (ela apareceu num dos looks de festival que montei, lembram?). Um sapato tão divertido e confortável, dessas peças parceiras de tantas horas.

A verdade é que a Melissa é dessas marcas que a gente ama acompanhar, torce pelo sucesso e se sente orgulhosa de ser conterrânea, né? Juro por tudo que não é jabá. É só o ponto de vista de uma publicitária que admira uma marca brasileira que foi capaz de fazer bonito no mundo e de uma blogueira de moda que reconhece o valor da criatividade, conforto e alegria que vão em cada parzinho desses de plástico.

E como eles são lindos e ainda por cima acessíveis, pensei comigo mesma: vamo fazer um Achadões inteirinho de Melissas? 1, 2, 3 e já!

E já que falamos na Cosmic, vamos começar por ela? Minimalista e super casual, ela é uma releitura bem da moderna do modelo Birken, ou seja, conforto puro. O mais legal? Tem Cosmic de um monte de cores lindas e diferentes. Das mais extravagantes (como a minha rosa choque) a essa PB que fez meu coração saltitar de alegria. Só escolher a que combina mais com o seu mood do momento.


Ainda dentro do clima de releituras super confortáveis e moderninhas da Birken, temos a Melissa Sauce. Eu super vejo num look com culottes e camisa social, tudo com uma carinha mais andrógina. Ou com shortinho e camiseta podrinha. Versatilidade pura. E o melhor? Tá na promo. De R$110,00 por R$66,00.


Uma das coisas que eu amo da Melissa é esse jeito deles de incorporar referências do mundo inteiro em suas criações. O modelo Style, por exemplo, tem solado inspirado nos tamancos japoneses. E também tem em uma infinidade de cores lindas e diferentes pra combinar com tudo e todos.


Outra coisa incrível da Melissa? (sim, eu vou ficar rasgando seda hoje porque o Achadões tem dessas coisas) Como eles conseguem fazer modelos tão casuais e outros tão chiques só bom borracha. Tipo esse modelo Spice. Que coisa chique! Sapato com cara de riko, só que por apenas 90 Dilmas. Isso que eu chamo de bom negócio.


E tem coisa mais charmosa do que uma sapatilha de ballet pro dia a dia? Nada pode despertar mais a menininha dentro da gente. Para as mais discretas, as tirinhas são removíveis. Ah! E também tá na promoção: de R$100,00 por R$80,00.

E as parcerias? Tantas e com gente tão incrível. Eu tô absolutamente enlouquecida por esse open oxford assinado pelo Alexandre Herchcovitch. Sério. Que sapato incrível e cheio de personalidade. Desses que elevam o coeficiente fashion que qualquer look. Tem em branco, azul marinho, cinza ou (o meu preferido) esse pretinho fosco.


Agora, fazer parceria com nada mais nada menos do que Karlzinho Lagerfeld não é pra qualquer marca, né não? Mas a Melissa fez. E o que surgiu daí foram criações chiques e dramáticas, como esse escarpin de bico fino cheio de charme e com saltinho médio só pra não prejudicar nossos pés de Cinderela.

Mais um do amigo Karl? Pode ser prateado e com lacinhos? E também tá na promo! De R$170,00 por R$102,00.

Pra finalizar, um que eu tenho e amo mesmo. O modelo Aileron da parceria da Melissa com o estilista Gareth Pugh fica uma lindeza no pé. Vai do look praia/piscina, a um look casual chique e cheio de conforto.


Confesso, queria todos. Como faz?

Boa semana, gente!

Uma vitória do amor e a nova campanha da Lush #GayisOK

Que dia lindo para o amor!

Hoje a Suprema Corte dos Estados Unidos tornou legal o casamento entre pessoas do mesmo sexo em absolutamente todos os estados do país. Até hoje, ficava a critério de cada estado decidir se reconhecia ou não o casamento gay.

Isso é uma vitória gigantesca não só para a comunidade LGBT, mas para os direito humanos de modo geral.

Coincidência ou não, esse final de semana acontece a parada gay em diversos países. Aqui mesmo em São Francisco, teremos SF Gay Pride no domingo, uma das maiores e mais importantes paradas LGBT do mundo. E imagina a festa que não vai ser isso depois da vitória de hoje!


(como não amar Piper & Vause?)

A verdade é que os Estados Unidos passa a integrar uma lista de países (Brasil incluído S2) que vem crescendo ao longo dos últimos anos mas ainda está longe de beneficiar a todos. Ainda hoje 2.8 bilhões de pessoas vivem em países onde ser gay ainda é crime. São 76 países ao redor do mundo em que ser gay é ilegal e pode até resultar em pena de morte.

Pensando nisso, a Lush Cosmetics e a ONG All Out, que luta pelos direitos da comunidade LGBT no mundo todo, lançaram o sabonete #GayisOK. Uma barra linda, dourada e bem da cheirosa que estampa a hastag em alto relevo. O mais legal? Todo o lucro arrecadado com a venda do sabonete será destinada a grupos de apoio à comunidade LGBT no mundo todo. Com o esforço, a marca espera arrecadar mais de 250 mil libras.

Pra ajudar, você pode, lógico, comprar o sabonete (que está à venda na loja online da Lush no Brasil) ou ainda divulgar a hashtag #Gayis OK nas suas redes sociais ou ainda por que não fazer as duas coisas?. Eu já comprei o meu e tô doida pra usar porque o bichinho é muito cheiroso.


A Lush é famosa pelos seus produtos totalmente vegetarianos e por abraçar causas como o não teste de produtos cosméticos em animais. Em 2013 eles já tinham se posicionado em favor da comunidade LGBT com o lançamento da campanha Sign of Love para aumentar a conscientização sobre direitos gays. Tem como não amar essa marca?

Por fim, pra quem não liga muito pra esse papo todo, eu lanço a mesma pergunta que a Lush está fazendo nas redes sociais: E SE O SEU AMOR FOSSE ILEGAL?

Um fim de semana de paz e muito amor procês, gente. E cheios de arco-íris.

Praia em São Francisco ou inverno no Brasil

Eu sei, eu prometi esse post pra ontem lá no Instagram, mas sabe quando você sai de casa achando que volta daqui a pouquinho e, quando você vê já é meia noite e você ainda tá fora, cheia de pique, com um bando de amigos e sem nenhuma perspectiva de retorno para a residência?

Mas, depois de uma noite bem dormida pra não ter ressaca, cá estou eu pronta pra bombar esse blog de post quentinhos. Então bora trabalhar!

Eu sei, vai parecer mentira, mas esse look de hoje foi usado no sábado, igualzinho, pra ir pra PRAIA. Cês vão ver, ele não é NADA praiano. Mas é que aqui, com a névoa e o vento frio que rolam de vez em sempre, look praia geralmente quer dizer look-normal-bem-confortável-e-quentinho-pra-sentar-na-canga-e-bater-papo-olhando-pro-mar. Então foi isso que usei pra ir até Stinson Beach, uma praia de frente pro Oceano Pacífico, a uns 40 minutos de SanFran.

O negócio é que eu gostei tanto do tal look "praiano" que resolvi que precisava usá-lo de novo. E cá chegamos a este post. Olha ele aí:


Me fala se não é a coisa mais delícia de vestir? Uma calça que parece de pijama, uma blusinha leve, um cardigã que cobre a gente quase inteirinha como se fosse uma manta e um chapéu pra deixar o cabelo no lugar e não ter que se preocupar com o vento.


A única diferença da praia pro jeito que usei o look ontem foi o sapato. No look praiano, foi uma rasteirinha preta, no look urbano, foi uma sandália de salto médio bem fechadinha.


Bem, acabou que acho que o look funcionou bem pra todo mundo. Pra ir pra praia em São Francisco ou pro ventinho frio de inverno no Brasil.

Créditos:

Calça: Forever 21
Camiseta: COS
Cardigã: C&A
Sapatos: Arezzo
Bolsa: Arezzo
Chapéu: brechó em Buenos Aires
Óculos: Ray Ban na Sunglass Hut

Lançamento da campanha #ElesPorElas pela igualdade de gênero

Se você é mulher, esse assunto te interessa. Se você é homem, esse assunto te interessa.

Hoje foi lançada no Brasil a campanha #ElesPorElas, a versão brasileira de uma iniciativa muito importante da ONU chamada #HeForShe.

Pra quem não conhece, o #HeForShe foi lançado em 2014, num evento da ONU nos Estados Unidos. Nele, a Embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres, Emma Watson (sim! a Hermione do Harry Potter!) fez um discurso inspirador sobre a importância de trazermos os homens para a discussão sobre feminismo e igualdade de gêneros, temas centrais da campanha. Dá uma olhadinha no vídeo (na íntegra com legendas em português aqui) que vale à pena.

Pode parecer estranho criar uma campanha feminista convidando homens a falarem pelas mulheres. De cara, parece a coisa mais machista do mundo. Mas a beleza dessa campanha, pra mim, é que não se trata de feminismo ou machismo. Se trata de igualdade, e é isso que me toca profundamente no discurso da Emma.

Ela brilhantemente introduz o assunto apontando como a palavra feminismo tem sofrido cada vez mais ataques por, muitas vezes, ter a conotação de "ódio aos homens". E argumenta que, pelo contrário, a ideia por trás do feminismo é a luta pela igualidade (e não superioridade feminina) e que muitos homens, mesmo sem levantar bandeiras, já estão contribuindo para essa causa em seu dia a dia, em suas atitudes.

O que precisamos é encorajar essa participação, fazendo com que, cada vez mais, homens também se sintam agentes de transformação dessa causa.


Ela menciona ainda a maneira como homens também estão presos em estereótipos de gênero, muitas vezes não podendo se mostrar sensíveis por exemplo ou sofrendo preconceito por optar por priorizar filhos à carreira.


A versão brasileira é uma parceria da ONU com o canal Gnt e tem o intuito de dar mais visibilidade e gerar mais discussões sobre a igualdade de gênero aqui no Brasil. Com o apoio do canal (e todo o seu elenco), a campanha tem como objetivo alcançar a marca de 100 mil assinaturas (de homens brasileiros) no mapa mundial de engajamento à causa. Portanto, pode botar o marido, irmão, tio, primo, amigo, papagaio, todo mundo pra assinar.

Pode parecer bobo, mas, quanto mais assinaturas, mais provamos que a sociedade brasileira está engajada com o tema e mais peso o assunto terá em iniciativas públicas e privadas.

Eu tenho orgulho de fazer parte desse movimento integrando o programa Skype Moment Makers, que apóia o #ElesPorElas. O Skype vai, nos próximos meses, promover e divulgar uma série de debates através de videochamadas entre pessoas de diferentes áreas que também acreditam na causa.

Homens e mulheres juntos e iguais. Não é uma ideia linda e poderosa de se pensar? Pois bem. Vamos fazer acontecer?



4 inspirações juninas pra usar o ano todo

Hoje eu fiz um Skype com os meus pais (eles me ligaram pra dar parabéns pela listinha do M de Mulher, fofos!) e me dei conta de que amanhã é São João (eles estavam de folga por conta das comemorações).

Sei que, em boa parte do Brasil, a data não é nem feriado, mas no Nordeste é coisa séria mesmo. Todo mundo emenda, viaja pro interior e as festividades não tem fim. Quem não conhece nem acredita, mas podem confiar nessa nordestina aqui, São João é tão grande quanto Carnaval.

Até hoje (ok, acho que não vou achar São João aqui em SF, mas até o ano passado), eu adoro uma festinha junina, essas de bairro mesmo, com comidinhas e bandeirolas e muito forró. E mesmo morando em São Paulo, eu sempre catava uma boa pra ir.

Pois, em homenagem às festividades do São João (e à minha saudade), esse post vai ser todinho de inspirações juninas. Afinal de contas tem coisa mais gostosa do que montar look junino? Tá inverno, aquele friozinho gostoso e você sai de casa toda quentinha pra tomar quentão!

Mas a verdade é que é difícil sair da caixa no que diz respeito aos looks juninos, né não? Ou você vai pro tradicional vestidinho xadrez, ou cai na calça jeans e camisa.... xadrez. Quem aí não tem uma camisa xadrez que já virou uniforme de festa junina que atire a primeira pedra.

Pois o post de hoje vai mostrar 4 inspirações super fofas pra arrasar em junho e julho... e agosto e setembro também. O objetivo aqui é usar ícones juninos de uma forma diferente pra passar longe do óbvio. Vamoooooos?

LOOK 1: MUDANDO O XADREZ DE LUGAR

Que tal substituir dar uma variada na peça xadrez do look? Ao invés da camisa ou do vestido, uma saia pode cair super bem. É curta e tá frio? Tudo bem, gente! Bota uma meia calça aí embaixo sem problema.Outra coisa que pode ser bem legal é variar na cor do xadrez. Ao invés do tradicional vermelho, dá pra apostar num tom mais neutro, como o cinza.

Na parte de cima, dá pra adicionar um pouquinho de jeans (pra quem quer entrar mais no clima da data) com camisa jeans por cima de uma camisetinha ou, ficar bem quentinha mesmo, e optar por um tricô mesclado que vai criar um crash de estampas com a saia.

Mais um toque junino? Botinha! Minimalista ou com franjinhas, fica a seu critério.




LOOK 2: UM XADREZ DIFERENTE

Sim, festa junina é xadrez, não tem muito como fugir. Mas que tal variar o padrão e optar por um xadrez mais moderno e minimalista? Tipo esse vestido azul marinho com quadriculado vermelho.O modelo também ajuda, ele é bem ladylike, o que também quebra um pouco o clima fantasia junina.

Como a modelagem do vestido é uma grande quebra do estilo junino, manter o vemelho em foco ajuda a trazer o clima da festa de volta pro look. Por isso, apostei num lenço vermelho com estampa bem miudinha (contrastando com o maxi xadrez do vestido) pro pescoço. E gostei muito da ideia de uma bolsa mais fun, como a redonda vermelha ou a branquinha imitando um Às de Copas.

Agora, se tiver tudo muuuuito vermelho pra você, dá pra quebrar com um chapéu tipo fedora (que é super invernal) azul marinho e acesssórios caramelo.

Ah! E pra deixar tudo mais moderninho e urbano, que tal um tênis estilo Vans pra completar o look?


 


LOOK 3: A CAMISA SEM AS CALÇAS

Sim, a gente falou lá em cima do combo junino clássico: calça jeans + camisa xadrez. Mas e se a gente tirar a calça? Uma maxi camisa xadrez de flanela sem nada embaixo (ou só uma meia calça, ou uma meia 3/4) pode ser um ótimo twist nesse clássico.

Se, mesmo assim, ainda tiver frio, dá pra usar um maxi tricô por cima, bem larguinho, quase num clima meio grunge mesmo.

Como o xadrez da camisa tinha um tiquinho de azul, aproveitei pra brincar com a cor nas bolsas. O legal é que tanto a opção em jeans quanto a pequenininha com franjas carregam também agregam elementos juninos pro look sem cair no óbvio.





LOOK 4: TUDO JEANS

Jeans é super junino né? Enão vamo de tudo jeans! Eu já falei aqui e repito, adoro um look que combine tons diferentes de jeans. Fica charmoso e super atual.

Aqui, o twist foi escolher uma modelagem diferente de calça jeans. Ao invés do modelo tradicional, apostei em culottes (ok, eu sei que sou suspeita).

Na parte de cima, dá pra ir pro lado mais sexy, com um cropped, ou mais quentinho, com uma camisa de manga comprida.

Agora, pra dar uma quebrada no jeans, temos aqui duas opções: adicionar uns acessórios metalizados, como a bolsinha ou a rasteira ou ir numa direção mais esporte, com o tênis branco. Ou misturar os dois!

Gosto também desse clima meio boho que a gente pode dar pro look total jeans, incluindo elementos com franja, como a pochetinha caramelho ou os máxi óculos.


Espero que as dicas tenham ajudado a entrar no clima junino. E, agora sim, bom São João procês, gente!