Ads

Uma calça e três looks de verão

Comenta aqui!
Quem tava mórrendo de saudade da porta amarela levanta a mão!!!!!!

Pois é. Foi pra matar essa nossa saudade (já assumindo que pelo menos algumas de vocês também sentiram), eu dei um pulinho rápido aqui em São Paulo. Ok, esse foi um dos motivos pra dar um break no nosso especial Rio de verão. O outro foi que eu tinha que arrancar o meu outro ciso. E o outro foi que ontem teve abertura da loja da Forever 21 na Oscar Freire (quem acompanha o @mourajo no Insta viu!).

A passagem aqui em São Paulo, porém, é rapidinha. No sábado eu volto pro Rio pra passar as próximas semanas em terras cariocas fazendo um chamego na família e continuar postando novidades no verão UASZ.

Mas, voltando à porta amarela, aproveitei o dia pós arrancamento de dente e pré evento para brincar de arrumar uma malinha bem esperta pra segunda fase da temporada in Rio. E, como ando muito apaixonada mesmo pela calça da Nuage (aquela que apareceu no post lindeza lá do MAR, lembram?), resolvi exercitar o poder do ócio criativo e pensar em jeitos bacanas de usar a bichinha.

O que eu acho mais legal desses exercícios é pegar peças que, aparentemente, são mais difíceis de combinar. Essa calça é dessas. A primeira vista, uma peça que você pensa em usar mais ou menos do mesmo jeito sempre. Mas, colocando a cabeça pra funcionar, ela pode te levar a looks nunca dantes imaginados. Um acessório aqui, uma corzinha ali. E o mais legal? Lembra que a gente falou da atemporalidade? Uma calça como essas te dá a liberdade de brincar de combinar sempre e para sempre. Dessas peças que você vai passar a vida descobrindo novos jeitos de usar e estar sempre atual.

Bem, chega de enrolation. Queria três looks que tivessem cara de verão. Um para um evento mais chiquezinho. Outro para um happy mais casual ou um passeio aí pelo shopping, sei lá e outro mais praiano (elegante, porém praiano). E aí deu nisso aqui:


Vamos um a um?

O primeiro look é o mais chiquetoso. Como mantive a parte de cima toda branca, aproveitei pra brincar com as texturas: a blusinha de renda em contraste com a estampa da calça. E finalizei com o maxi blazer branco por cima (ele é que dá o toque super chique, mas sem tirar o clima de verão da história).


O look 2 é o mais excêntrico (e acho que o meu preferido). A ideia foi deixar o look mais monocromático com a camisa azul praticamente no mesmo tom da calça e caprichar no cabelo preso com o turbante. Ideia simples, mas que deu um efeito super legal.


Por fim, o look 3 é o meu look praiano. Como a calça é de linho bem levinho, achei que tinha tudo a ver fazer uma proposta de praia chique. Pra isso, coloquei a calça por cima do meu maiô preferido (acho que todo mundo nessa vida deveria investir em ter um maiôzão da elegância, esse é o meu). Arrematei o look birkens no pé e chapéu panamá na cabeça. Verão purinho.

Pronto. Três looks pra malinha do Rio: check. E uma tarde divertida em São Paulo brincando de ser boneca enquanto o dente melhor: check.

Créditos:

Look 1
Calça: Nuage
Blusa: Nuage
Blazer: Mango
Sapato: Schutz

Look 2
Calça: Nuage
Camisa: C&A (troquei o blazer que eu ganhei por essa camisa que eu fiquei apaixonada. Abri mão do blazer rosa que era fofíssimo, mas foi por boa causa)
Turbante: Urban Outfitters
Sapato: C&A

Look 3
Calça: Nuage
Maiô: Lenny
Birken: Arezzo
Chapéu: lojinha do aeroporto de Recife

Pros compromissos de verão

Comenta aqui!
Depois de um fim de semana meio chuvoso, voltamos à programação normal de verão, com direito a sol e calor. Eu ando passando esses dias no Rio e, confesso, estava desacostumada a me vestir para o calor carioca.

Fica fácil quando a gente tá de férias, só indo pra praia, só fazendo turismo. Mas, quando você tem um compromisso mais serinho pra ir o bicho pega mesmo. Isso me fez lembrar de um vídeo que eu fiz láááááá na época que eu tinha cabelão e carinha rechonchuda de Trakinas sobre roupas fresquinhas pra trabalhar. Quem não lembra, ou não viu, pode conferir ele aqui ó.

Pois bem, o tempo passou (pra lá de um aninho), mas as dicas continuam válidas. Hoje, na verdade, só queria agregar uma outra que vale como complemento para a dica da substituição da calça jeans.

Acho que já ficou claro o quanto ando amando a onda das pantalonas cropped. Sério, não sou muito de ficar surfando qualquer onda e vocês sabem disso. Porém, achei a invenção realmente maravilhosa (parabéns aí pra quem teve a ideia) e perfeita pro nosso calor e pra descontração próprios da nossa terra. Por isso, essa é a minha dica: pra ficar chique AND fresquinha, taca uma pantalona aí. Na verdade, nem precisa ser cropped não. Pantalonas de uma forma geral são bem mais fresquinhas do que os jeans apertados, especialmente se você escolher bem o tecido.


E, seguindo a minha própria dica do vídeo, apostei na minha cropped com estampa de folhagens, bem tropical. E combinei com regatinha (a que eu consegui trocar pelo short que não entrava na perna, lembram?) bem leve.

Outra coisa que eu adoro fazer no verão é botar os pés de fora. Sempre achei os meus pés muito grandes e feios e passei a vida tentando escondê-los. Mas envelhecer tem suas vantagens e hoje eu me importo bem pouco com o que o povo pensa dos meus pezões. Coloco eles de fora sem problema nenhum e nunca mais passei calor no verão. Vide as rasteiras de hoje: conforto master e frescor idem.


Já a bolsa, seguiu o tom da blusinha e é o meu xodó esse verão. Cabe tudo, é leve e a cor combina com qualquer coisa.


Pra finalizar, batom rosa choque (rosa parece mesmo ter sido o fio condutor da história hoje) e óculos azul espelhado (só pra dar uma quebrada).


E vocês? Como lidam com o calorzão? Tô precisando de ideias boas pra me virar por aqui!

Créditos:

Pantalona: Topshop
Vestido usado como blusa: C&A
Bolsa: Adô Atelier
Óculos: Zara
Sandálias: Topshop

Presentes bons de bolso

Comenta aqui!
Todo ano, quando chega Dezembro, chegam, com ele, as listas de presentes de Natal. Tem amigo secreto do trabalho, da família, das amigas da faculdade, do colégio, do yoga, das mães da escola (ainda não é o meu caso, mas serve pra ilustrar). É presente pra caramba.

Todo ano eu tiro, pelo menos, uns dois dias pra ir ao shopping e resolver a vida. Mas, convenhamos, as filas, o trânsito, as lojas lotadas. Tem que ter muita paciência e tempo sobrando pra conseguir sobreviver às compras Natalinas.

Por outro lado, eu sou dessas que ama dar presentes. Gosto de pensar na pessoa e procurar aquela coisa que tem a cara dela. Além disso, gosto de presentear com coisas que a pessoa vai adorar mas não compraria pra ela própria. Nada de meia branca, nada de calcinha bege. Se for lingerie, que seja charmosa, sexy. Se for meia, que seja colorida, divertida.

Pra conseguir comprar tudo, sem enfrentar filas e ainda conseguir achar coisas bacanas, esse ano, eu resolvi fazer tudo pela internet. Tem um zilhão de sites aí pelo Brasil afora, que entregam em até uma semana (ou seja, timing perfeito para as festas), cheios de possibilidades presenteáveis para todos os gostos e todos os bolsos.

Comecei a minha busca por esse mundo virtual hoje e já resolvi metade da minha lista! Daí que resolvi dividir os meus achados aqui com vocês. Um monte de coisas fofas pra presentear e tudo por menos de R$100,00. Bora?



Bolsa nude Amo Muito: R$86,00
Vasinho planta Estudio Gambare: R$35,00
Bolsa de juta Escudero na OS/ON: R$98,00
Corrente para bolsa Mumi: R$99,00
Boné Adidas Originals no Oqvestir: R$99,00
Carteira cores Amo Muito: R$79,00
Brincos Dolores Iguacel no Oqvestir: R$59,00
Pote abacaxi Collector55: R$69,00 (e ainda tem desconto especial para as leitoras do UASZ! Entra lá no @mourajo no Instagram pra ver!)
Necessaire Souq na Shop2gether: R$79,00
Anel Parco Design: R$35,00
Lenço Fred Perry na Shop2gether: R$71,60

Não é um mais fofo que o outro? Prometo que, se achar mais fofuras, posto a tempo pro Natal!



Sexta Casamenteira: roupa de madrinha

Comenta aqui!
A sexta-feira está entre nós novamente!!!! E eu tava aqui numa ansiedade só pra 2a edição da nossa Sexta Casamenteira!!!!

Desde que comecei a contar pras pessoas mais próximas que eu ia casar e que o casamento seria de dia, um monte de gente veio me perguntar sobre o que era apropriado usar num casório à luz do sol. E muita gente aqui do blog tem me mandado emails perguntando sobre roupa de madrinha. Porque madrinha tem uma responsa, né? Vai estar lá em todas as fotos, tem que fazer bonito!

Entonces, resolvi chamar uma convidada muito EXPERT em casamentos pra passar alguns ensinamentos acumulados ao longo da sua extensa experiência do ladinho de noivas e madrinhas super elegantes.

Quem acompanha o @mourajo no Instagram viu, há duas semanas, eu eu fui visitar a Emannuelle Junqueira lá no atelier dela. Quem lembra? Um monte de gente achou que eu ia fazer o vestido com ela, mas, na verdade, fui lá fazer uma consultoria com a moça sobre vestidos de madrinhas!

Todo mundo conhece os vestidos de noiva da Emannuelle. O que pouca gente sabe é que a loja dela lá nos Jardins é recheada de vestidos, saias, blusas de cores e tecidos dos mais diversos que formam a sua coleção pret-a-porter (ou seja, prontinho pra levar pra casa). O mais legal é que o estilo atemporal e cheio de personalidade da Emannuelle tá em cada pecinha.

Cheguei lá e ela me recebeu lá no provador. Eu cheia de vestido nas mãos que eu já tinha tratado de catar nas araras espalhadas pela loja.

"Manu, peguei um monte de coisa aqui. Vai me falando o que você acha?"

Peguei um vestido verde e perguntei pra ela sobre cores:

E ela disse:

Cor não quer dizer muita coisa não. Você pode estar com um vestido de cor clara e ele ser super apropriado para um casamento à noite e super inapropriado para um casamento de dia. O importante é que a cor harmonize com você e com a sua produção. Porque vestido não resolve tudo. As pessoas procuram o vestido e esquecem do resto. Tem tanta coisa que dá pra brincar pra produzir o look: um colarzão, óculos, sobreposição. E a cor precisa estar harmônica com tudo isso e com você. Mas não custa lembrar que preto não é legal pro dia e branco só serve pra noiva.

Eu tava com um vestido verde e ela falou: "Tipo esse que você tá agora. Ele é maravilhoso. E dá pra usar de dia e de noite. Tem um tom que transita bem e, ao mesmo tempo, tem uma simplicidade elegante. Mas a produção pode levá-lo mais pra um lado ou para o outro."

Era esse aqui ó:


Lindo, confortável e com um caimento incrível (desses que faz a gente se sentir esbelta). Eu usei com um maxi colar sem nenhum brilho e óculos escuros e achei que ficou super cool pra um casório com cara de campo/fazenda no fim da tarde.


Daí a minha segunda pergunta foi sobre sensualidade. E eu amei a resposta dela:

"Sensualidade tem que ser dosada. Lembre-se de que você vai estar em posição de destaque. O ideal é lembrar o seu papel no evento e o ambiente em que você vai estar inserida (igreja, vovó sentada na frente, álbum de foto que vai ficar pra posteridade). No fim das contas, tudo é uma questão de harmonia."

O segredo, segundo ela é valorizar uma parte do corpo. "Você tem as costas bonitas. Aposta nelas. Esse aqui vai ficar incrível." Botei e fiquei babando. Era esse aqui ó:


Uma coisa que eu gostei muito nesse vestido foi a composição de cores. Achei o contraste entre o menta e o roxo tão legal e inusitado e tão chique e cheio d epersonalidade, tudo ao mesmo tempo. E o cintinho só veio dar uma modernizada ainda maior na história toda.


A última pergunta foi sobre acessórios. Comentei que achava que muita gente se sentia insegura em escolher acessórios, com medo de não combinar, de não ficar bem, de ficar exagerado.

E ela respondeu: "Jóia clássica é sempre um aliado nesse momento. Mas também tem a opção de você fazer o vestido ser uma jóia. Não tem nada de errado em optar por uma peça que já tenha um detalhe especial que substitua uma jóia." Tipo esse aqui ó:


Que, na verdade, nem é um vestido. É uma saia longa e uma blusa que mais parece uma jóia. E pode isso, Emannuelle?

Niqui ela responde: "Olha como tá lindo! Claro que pode!"


É isso, meninas e madrinhas. Pode um tantão de coisa. Foco na harmonia e muita alegria. Afinal, o momento é mais que especial.

Créditos:

Vestidos e acessórios: Emannuelle Junqueira
Óculos look 1: Ray Ban

Barganhas da Ana

Comenta aqui!
Hoje eu acordei lá pelas 09:00, tomei café da manhã, me arrumei e saí de casa com um look bem fresco pra andar a pé até o metrô mais próximo. Algumas estações depois, eu saltei lá na Tijuca. Sol quente quaimando o couro da gente, mas, na cabeça, a noção clara de que eu tinha trocado o biquini por uma camiseta por uma boa causa.

A algumas quadras da estação, na Rua Barão de Iguatemi, 420, uma fachada com o letreiro: "Lucidez". O nome não podia ser melhor, cês vão ver.

Ainda do lado de fora, espiei pela vitrine pequena que dava dentro da loja e ví justamente que eu tava procurando: a Ana.

Cês conhecem a Ana, né? Ela é essa aqui ó:


Pra quem não conhece, a Ana é carioca, designer, consultora de estilo AND autora do blog Hoje vou assim off, dos poucos blogs que eu leio desde antes de começar o UASZ. Mas, apesar da minha tietagem com ela já vir de longa data, a gente nunca tinha se conhecido pessoalmente. Um erro corrigido hoje.

Tudo começou porque eu tava pensando em pessoas legais pra rechear e enriquecer a minha temporada carioca. E a primeira pessoa que me veio na cabeça foi essa moça. Por dois motivos. O primeiro é que eu já gostava e me identificava muito com o trabalho dela, o jeito dela se vestir e o jeito dela de escrever (acho que dá pra dizer muito sobre alguém analisando essas três coisas). O segundo é porque eu acho que a proposta dela tem muito a ver com o que a gente vive falando aqui no UASZ. Sobre moda com consciência, sobre custo benefício, sobre roupa pra gente de verdade. Entonces, por conta de tudo isso, convidei a Ana pra passar um dia comigo e me mostrar, como boa carioca ixperta, quais eram as barganhas preferidas dela aqui por essas bandas. Ela foi fofa, respondeu o meu email rapidinho e organizou toda a agenda pra conseguir me encontrar hoje.

Explicado o nosso encontro, voltemos à Lucidez, a primeira parada das barganhas da Ana.

A Lucidez é essa loja aqui, eu não conhecia, mas a Ana foi logo me dizendo que eles tem uma loja em Ipanema e outra em Icaraí (oi, Niterói) que abriu essa semana. A marca já tem preços bons normalmente, mas, não estamos numa Lucidez qualquer. A Ana me levou para a loja da fábrica. E, mal cheguei, já falou: "Separei isso aqui pra você. Achei a sua cara." E era mesmo.


Um casaquinho todo bordado de paetês. Daqueles que levantam QUALQUER look.

Pena que eu não tô comprando, porque custava R$35,00 e ainda tinha 20% de desconto se eu pagasse com dinheiro. Sim, a vírgula está no lugar certo, é trinta-e-cinco. Ok, pelo menos a Ana aproveitou.

Saímos de lá, andamos 10 metros e demos de cara com a segunda barganha. Dessa vez, uma barganha gastronômica: o Bar da Frente.



Um boteco com cara de Rio de Janeiro, simples, amigável, charmoso pela sua falta de glamour e pretensão. A estrela do cardápio não podia ser mais a cara do Rio, hi lo em sua essência: Fondue de coxinha. Oito coxinhas delicinha numa bandeja, acompanham uma panelinha de fondue com queijo dentro. As coxinhas vem espetadinhas num palito pra você xuxar no queijinho e morrer de satisfação. Tudo isso por R$28,00.

(olha a gente de tititi - ou blá blá blá - esperando a coxinha).


Depois de algumas Serra Malte e várias coxinhas com fondue, a gente foi almoçar (entendi que a Ana é das minhas e gosta de prato fundo). Terceira barganha: o restaurante chinês Primeira Pá que fica ali na Associação Cultural Chinesa do Rio de Janeiro. Por lá, são poucos os que falam português, mas a fofura no atendimento compensa.

A Ana sugeriu o pato laqueado. Maior barganha: a meia porção (R$75,00) serviu nós duas. Veja bem: pato por R$37,50. Comemos até cansar.


Depois de muito papo, pegamos um táxi juntas e deixei ela no Jardim Botânico, pra ela encontrar umas amigas que tinha conhecido no bazar da Andrea Marques na semana passada.

- "Semana passada, Ana?" perguntei
- "Pois é, amigas instantâneas, sabe?"

Sei.

A Ana é assim mesmo. Amiga instantânea. E em três barganhas embaladas a muito papo, acho que ela fez mais uma :-)


Post patrocinado: O M.A.R e a moda atemporal da Nuage

Comenta aqui!
Ontem, finalmente, eu consegui conhecer o M.A.R - Museu de Arte do Rio, ali na Praça Mauá, centro do Rio. Programa desses, delicinha, imperdível pra quem passa uns dias na cidade.

O prédio em si já vale a visita: foi um dos primeiros marcos do processo de transformação pelo qual a zona portuária do Rio está passando. E, só de vê-lo, dá pra imaginar a lindeza que a região vai ficar quando estiver tudo prontinho.


Lá dentro, até o dia 15 de fevereiro, rola a exposição "Do Valongo à Favela: imaginário e periferia", um recorte super interessante da história da escravidão no Brasil e da origem das favelas.

O prédio é lindo, as exposições são bacanas, mas a pérola do M.A.R definitivamente é o terraço. O teto em ondas que une o edifício modernoso, onde fica a administração, e o edifício antigo, onde fica o Museu, é tão gostoso que dá pra passar a tarde ali. E é aí que entra a segunda parte do nosso post.

Foi o terraço do M.A.R., o cenário que eu escolhi para mostrar uma marca que eu descobri há pouco tempo graças a Jo, minha xará lá de São Paulo.

A Jo e eu nos comunicamos praticamente só por whatsapp. É dessas amigas que, por conta da vida, você não encontra muito, mas dá graças a Deus por viver num tempo em que a tecnologia permite que vocês se falem praticamente toda semana e sobre toda sorte de coisas.

Nesse dia, a Jo me acordou lá pelas 8:30 da matina com uma mensagem que dizia: "Xará, queria te apresentar uma marca." Achei engraçado e perguntei do que se tratava e ela foi explicando, com seus dedinhos rápidos no teclado: "É de uma amiga minha. E é a sua cara. Certeza você vai amar. Porque ela é moderna, mas é clássica. Não é roupa de modinha. É roupa pra usar com tudo, pra ter pra sempre".

Nada poderia ter despertado mais o meu interesse do que essa expressão: roupa pra ter pra sempre. E foi a partir dela que eu conheci a Nuage.

Da mensagem, veio o papo com a Marina, estilista e idealizadora da marca, lá no sofá de casa, e a vontade de fazer uma parceria. Nada como gente que pensa parecido com a gente, né? A Marina me contou que gosta de fazer roupa atemporal. Dessas que você usa hoje, amanhã, ou daqui a 10 anos e continua fazendo bonito. Roupa bem feita e de qualidade. Moda sem modismos. Basta entrar no site da Nuage pra ver.

Por tudo isso, eu resolvi fotografar o meu post em parceria com a Nuage ali no M.A.R. Tem lugar melhor pra falar de atemporalidade do que num museu? Ainda mais num que une novo e velho de um jeito tão orgânico.

Então, sem mais delongas, vamos lá, ao terraço do M.A.R.


Juro, tô apaixonada por esse look. Pensa num look pra qualquer verão. Cores levíssimas, tecidos levíssimos, soltinho pra não grudar no corpo, mas, ainda assim, super feminino.


Eu amei tanto a combinação de cores que mantive a mesma paleta em todos os acessórios. Pra começar, óculos azul clarinho e pulseira com pedra azul também. E, logo ali embaixo, open boot branca, pra dar um pouco mais de peso pro look tão levinho.


Tudo clássico, mas contemporâneo. Pra um verão chique e despretensioso (tem coisa mais chique?) no Rio, em São Paulo, em Paris ou Salvador.


Pra finalizar o post, um viva ao whatsapp que une boas ideias e faz a gente conhecer gente bacana. E um viva à atemporalidade! Da moda e da arte!

Créditos:

Calça: Nuage
Blusa: Nuage
Sapato: Zara
Óculos: Zara
Pulseira: Colheita Especial


Post patrocinado: A minha descoberta com os Crocs

Comenta aqui!
Pausa (pequena) no nosso especial de verão MTV UASZ para compartilhar um vídeo um tanto quanto inusitado.

Cês conhecem aquela marca Crocs? Aquela, daquele sapato que você com certeza já botou no pé e achou mega confortável mas que tem um design meio esquisitão? Pois é. Eu também só conhecia isso da marca. Até que, um belo dia, recebi um email que mudou tudo isso.

O pessoal da Crocs me chamou pra fazer um vídeo lá em casa (especialmente pro pessoal que sempre me pede pra conhecer um pouco mais a minha casinha!) me desafiando a montar três looks para modelos diferentes de Crocs. Confesso que, num primeiro momento, pensei: ixi, ta aí um desafio. 

Mas o email já tratava de avisar: "Entra lá no site pra conhecer os modelos! São bem diferentes e super fofos." Ah vá. Cliquei toda desconfiada. E tavam lá. Diferentes e super fofos.

Tinha tanto modelo diferente que eu nem percebi os originais ali pelo meio de tudo. Respondi o email topando o desafio na hora.

Uma semana depois, o pessoal baixou lá em casa com uma caixa de Crocs, todas do meu tamanho, pra eu escolher o que mais gostava e montar os looks. O resultado foi esse vídeo super fofo! Espero que vocês gostem!